Maduro ordena que embaixadora da União Europeia na Venezuela deixe o país

Medida foi tomada após bloco europeu aplicar sanções em aliados do presidente chavista.

O presidente do governo chavista, Nicolás Maduro, ordenou nesta segunda-feira (29) que a embaixadora da União Europeia na Venezuela, Isabel Brilhante Pedrosa, deixe o país em até 72 horas.

Segundo o próprio Maduro, a decisão foi tomada após o bloco europeu determinar sanções a aliados do regime, inclusive o deputado Luis Parra, chefe do parlamento paralelo venezuelano estabelecido pelo governo chavista. "Quem são eles para aplicar sanções? Quem são para se impor com ameaça?", questionou Maduro, em discurso. Sanções a chavistas A União Europeia aplicou nesta segunda-feira sanções a 36 aliados de Maduro, que incluem restrição de viagens aos afetados pela medida.

O bloco alegou ameaças à democracia e aos direitos humanos na Venezuela. No início da crise do poder venezuelano, a UE procurava adotar um tom de mediação entre os chavistas e o grupo liderado por Juan Guaidó.

Diversos países do bloco, porém, reconhecem o oposicionista como o presidente legítimo da Venezuela.

Categoria:Mundo