Na Aleac, secretário de Saúde fala sobre falta de medicamentos e consórcio entre prefeituras para agilizar compras

Alysson Bestene participou de uma sessão on-line da Aleac e respondeu questões sobre as ações de combate à Covid-19.

Secretário Alysson participou de sessão na Aleac sobre ações de combate à Covid-19 Reprodução O secretário de Saúde do Acre, Alysson Bestene, participou de uma sessão na Assembleia Legislativa (Aleac), nesta terça-feira (30), sobre as ações de combate e prevenção do novo coronavírus no estado acreano. Bestene respondeu perguntas dos parlamentares sobre a falta de remédios, as verbas destinadas para as ações no estado, a construção dos hospitais de campanha e outros pontos.

Entre os principais pontos discutidos, Bestene admitiu dificuldades para comprar remédios usados no tratamento de Covid-19 como azitromicina.

Para tentar reduzir as dificuldades, o secretário disse que fechou parceria com as prefeituras dos municípios para comprar os remédios. "Está sendo difícil a aquisição dos medicamentos da atenção básica.

Temos montado uma estratégia com os municípios para fazer uma compra única, aproveitar e fazer uma única compra de azitromicina, ivermectina.

A cloroquina que alguns profissionais usam e outros não, está sendo distribuída tanto para malária quanto para o uso de Covid.

O Ministério mandou e distribuímos para as cidades", destacou. Ainda segundo Bestene, será montado um consórcio entre o Estado e as prefeituras para agilizar as compras.

"Temos uma dificuldade de manter o padrão por falta da medicação básica pela dificuldade na aquisição.

Temos montado uma estratégia com os municípios para fazer uma compra única de azitromicina, ivermectina e outros medicamentos”, frisou.

Hospital de campanha Outro ponto questionado pelos deputados foi sobre o atraso na entrega da obra do hospital de campanha de Cruzeiro do Sul.

Nesta terça, a direção do Hospital do Juruá atingiu 100% da ocupação dos leitos para pacientes graves com Covid-19. Bestene garantiu que a unidade de saúde passa a receber pacientes já na próxima semana.

Segundo ele, a usina de gases que deve chegar na sexta (3), ser instalada em até 48 horas para a unidade operar. "Foi construído em 36 dias.

Todos os equipamentos adquiridos estão chegando e vão reforçar como um todo.

Temos leitos suficientes que vem atendendo a população.

Usina de gás deve chegar na sexta e a equipe tem um prazo de 48 horas para instalação", alegou.

Categoria:Acre